Pessoal, bom dia!

Recebi um email de uma empresa chamada MQuality dizendo o seguinte:

“Pare e reflita: qual tem sido a sua desculpa que tem dado a si mesmo para ter adiado por todo este tempo a sua decisão de imigrar para a Austrália? Afinal você já tinha sido alertado que tudo que é bom dura pouco, não é verdade? Infelizmente, este ditado prova-se mais uma vez correto com o comunicado que recebemos hoje( janeiro de 2014) das autoridades estaduais imigratórias de NSW (“New South Wales”), cuja capital é Sydney, que suspenderam o processo de imigração para todas as profissões de sua respectiva lista.
Isto significa se você estava planejando imigrar como profissional para Sydney, Wollongong, Gosford, ou qualquer outra cidade dentro do estado, contando com os valiosos pontos do apoio estadual de NSW, não poderá mais. Ou seja, o seu pedido será negado. Apesar de ser uma suspensão temporária, acreditamos que o recado está sendo dado neste início de ano.

Agora fique muito atento que algumas inescrupulosas agências de intercâmbio, de turismo ou despachantes ainda estão vendendo ‘pacotes promocionais’ de estudos na Austrália prometendo que no final dos seus estudos você estará elegível ao seu visto permanente. Prevalecendo a suspensão acima explicada, isto é falso e corre o sério risco de perder este seu investimento de vários milhares de dólares. Se você estiver na iminência de adquirir qualquer programa de estudos na Austrália, recomendamos que converse conosco urgentemente para assegurar-se que não estará desperdiçando os seus valiosos recursos.”

Pelo que entendi, se isso for verdade, refletirá para quem quer imigrar diretamente como profissional certo? E no caso de quem por exemplo for estudar e posteriormente iniciar a Universidade?

Alguém sabe de alguma coisa? Dei uma olhada no site da Imigração e não encontrei isso…Obrigado e um abraço a todos!

Exibições: 2323

Respostas a este tópico

Olá Felipe,

Essa mensagem que lhe mandaram é uma "sopinha" de meias-verdades.  Não quero dizer que quem mandou teve má intenção, prefiro pensar que por ser uma empresa localizada no Brasil fica difícil para os seus profissionais se manterem atualizados a respeito do que acontece aqui na Austrália, do outro lado do mundo. Além da rapidez com que as coisas mudam no Departamento de Imigração, custa caro e toma tempo participar de seminários, workshops, fazer assinatura de boletins e outras publicações que mantêm os Agentes de Imigração update com o que está acontecendo.

 Não sou dona da verdade,  e acho que quando a gente não domina um assunto é melhor consultar quem o faz.  Por isso, mandei a sua mensagem para um dos Agentes de Imigração com quem trabalho. Ele é considerado um dos melhores (competente, honesto, atualizadíssimo) de Sydney. Veja a resposta dele:

"  Há vários pontos incorretos e que requerem melhores explicações nas informações recebidas. Lendo essas informações, por exemplo, pode-se tirar as seguintes conclusões:

1) que a única forma de se obter um visto de imigração para a Austrália, como um profissional de alta carência aqui, é se a pessoa for patrocinada por um governo estadual,
2)  que há cursos que lhe dão direito a um "visto permanente" - visto de imigração - automaticamente no final do seu curso,
3) que este tipo de estratégia de imigração - isto é, focada num visto como profissional independente - é uma forma 'segura', ou até mesmo 'recomendável' de planejamento.
Existem na verdade *vários* vistos de imigração para Austrália - os chamados 'vistos de residência permanente'. Existem vistos, por exemplo, para investidores, para quem tem família aqui, de relacionamento (para quem casa ou tem uma união estável com um cidadão australiano), e também vistos para profissionais que estão em alta carência na Austrália, entre outros. 
Os vistos de residência permanente para profissionais se dividem em duas categorias amplas: vistos para profissionais 'independentes', e vistos para profissionais 'patrocinados'. Os vistos para profissionais independentes não requerem patrocínio de indivíduo ou empresa nenhuma (por isso são chamados 'independentes'), mas requerem que a pessoa se encaixe num perfil muito exato de um imigrante 'ideal': além da pessoa ter que ter um Inglês excelente, tem que ter qualificações altas, reconhecidas na Austrália, e vários anos de experiência profissional. Cada uma destas características dá ao profissional 'pontos' de imigração, que são usados para determinar que profissionais melhor se encaixam no 'molde' do imigrante ideal. Uma das coisas que o imigrante potencial pode tentar fazer nesta categoria, para ganhar mais 'pontos', é tentar conseguir patrocínio de um governo estadual. Cada governo estadual daqui tem um processo de escolha de profissionais que eles acham que podem ajudar a preencher carências específicas daquele estado. Se o estado escolhe patrocinar você, você ganha pontos extras.
A informação que foi dada, foi que o governo do estado de New South Wales já havia patrocinado todo mundo que queria patrocinar, e que não iria emitir mais cartas de patrocínio neste ano fiscal.  Isto não significa que um candidato não possa pedir um visto nesta categoria - e na verdade, a maioria dos candidatos não têm patrocínio de governo estadual nenhum. Este patrocínio é um 'bônus', que se você tiver, pode aumentar sua chance de receber o visto, mas não é pre-requisito, nem essencial que você tenha. 
Tudo isto, no entanto, é relativamente irrelevante, pois esta categoria chamada de profissional 'independente' hoje em dia é, na verdade, uma LOTERIA: quando o candidato tem o perfil ideal, este candidato tem direito somente a se cadastrar num banco de dados do Departamento de Imigração - um banco de dados que lista todas as pessoas, do mundo todo, que tem um bom perfil de imigração (como o dele), e que têm interesse em receber o visto. Uma vez por mês, o sistema escolhe (arbitrariamente) alguns candidatos, e oferece vistos para estes. A escolha é feita com base na profissão, e no número de pontos do candidato, mas basicamente, se você tem pontos suficientes, você estará competindo com milhares de outros por esta 'vaga', e se receber vai ser na pura sorte. Isto, portanto, não é uma estratégia de imigração que eu recomendaria para ninguém.
Se você é um profissional qualificado, e fala bem Inglês, a minha experiência tem mostrado que  é muito mais fácil para você achar uma companhia local que estaria interessada em patrociná-lo, do que 'ganhar na loteria' da categoria independente. Patrocínio de empresa é algo razoavelmente comum, principalmente se você tem aquele perfil fantástico do imigrante qualificado ideal. Vale muito mais a pena, portanto, você investir num plano que lhe permita reconhecer as suas qualificações aqui, fazer contatos de trabalho localmente, e entrar na sua área.
Estes são apenas *dois*  dos caminhos de imigração para a Austrália. Como mencionei acima existem outros. O caminho que será o mais rápido/fácil/barato/garantido depende totalmente do candidato: sua história, qualificações, perfil. Por isto mesmo é sempre aconselhável a pessoas que estejam considerando *seriamente* a possibilidade de imigrar para a Austrália, que consultem um bom AGENTE DE IMIGRAÇÃO REGISTRADO E CREDENCIADO pelo governo australiano,  pois só este profissional têm qualificações, conhecimento e direito *legal* de dar orientações sobre vistos e estratégias de imigração para a Austrália.
Em relação a planejamentos de imigração que incluem cursos e planos de estudo, isto é bastante comum. No entanto, não há curso algum que vá lhe 'garantir' um visto de residência permanente no final. Alguns cursos - cursos universitários de Bacharel, Mestrado e Doutorado, de pelo menos 2 anos de duração - lhe dão a opção de pedir um visto especial no final dos seus estudos. Este visto especial - o 485 - lhe dá o direito a uma 'residência temporária' na Austrália, depois de terminar seus estudos. Esta residência temporária varia entre 2 anos (para quem termina Bacharel), 3 anos (para quem termina Mestrado), e 4 anos (para quem termina um Doutorado). 
A Austrália não precisa de 'índios', precisa de 'caciques'. Quanto mais qualificado você for, mais chance o governo quer lhe dar, a fim de que você encontre uma maneira legal de ficar aqui. Por isto mesmo existe este visto 485, para graduados universitários: a idéia é que durante o seu tempo de residência aqui, depois de formado, você achará mais facilmente um caminho de residência permanente - como por exemplo, uma empresa que queira patrociná-lo. Se você está numa profissão de carência na Australia, é altamente qualificado - incluindo qualificações locais - e tem alguns contatos locais, é muito provável que você conseguirá ficar aqui permanentemente - e você não dependerá de 'sorte' na loteria da categoria independente, mas sim dos seus esforços."
Espero, 'Felipe,  que estas informações ajudem. Se tiver mais dúvidas, ou precisar de mais informações ou auxílio, não hesite em me contatar diretamente: [email protected]
Um abraço.

 


Olá Felipe,

Essa mensagem que lhe mandaram é uma "sopinha" de meias-verdades.  Não quero dizer que quem mandou teve má intenção, prefiro pensar que por ser uma empresa localizada no Brasil fica difícil para os seus profissionais se manterem atualizados a respeito do que acontece aqui na Austrália, do outro lado do mundo. Além da rapidez com que as coisas mudam no Departamento de Imigração, custa caro e toma tempo participar de seminários, workshops, fazer assinatura de boletins e outras publicações que mantêm os Agentes de Imigração update com o que está acontecendo.

 Não sou dona da verdade,  e acho que quando a gente não domina um assunto é melhor consultar quem o faz.  Por isso, mandei a sua mensagem para um dos Agentes de Imigração com quem trabalho. Ele é considerado um dos melhores (competente, honesto, atualizadíssimo) de Sydney. Veja a resposta dele:

"  Há vários pontos incorretos e que requerem melhores explicações nas informações recebidas. Lendo essas informações, por exemplo, pode-se tirar as seguintes conclusões:

1) que a única forma de se obter um visto de imigração para a Austrália, como um profissional de alta carência aqui, é se a pessoa for patrocinada por um governo estadual,
2)  que há cursos que lhe dão direito a um "visto permanente" - visto de imigração - automaticamente no final do seu curso,
3) que este tipo de estratégia de imigração - isto é, focada num visto como profissional independente - é uma forma 'segura', ou até mesmo 'recomendável' de planejamento.
Existem na verdade *vários* vistos de imigração para Austrália - os chamados 'vistos de residência permanente'. Existem vistos, por exemplo, para investidores, para quem tem família aqui, de relacionamento (para quem casa ou tem uma união estável com um cidadão australiano), e também vistos para profissionais que estão em alta carência na Austrália, entre outros. 
Os vistos de residência permanente para profissionais se dividem em duas categorias amplas: vistos para profissionais 'independentes', e vistos para profissionais 'patrocinados'. Os vistos para profissionais independentes não requerem patrocínio de indivíduo ou empresa nenhuma (por isso são chamados 'independentes'), mas requerem que a pessoa se encaixe num perfil muito exato de um imigrante 'ideal': além da pessoa ter que ter um Inglês excelente, tem que ter qualificações altas, reconhecidas na Austrália, e vários anos de experiência profissional. Cada uma destas características dá ao profissional 'pontos' de imigração, que são usados para determinar que profissionais melhor se encaixam no 'molde' do imigrante ideal.
Uma das coisas que o imigrante potencial pode tentar fazer nesta categoria, para ganhar mais 'pontos', é tentar conseguir patrocínio de um governo estadual. Cada governo estadual daqui tem um processo de escolha de profissionais que eles acham que podem ajudar a preencher carências específicas daquele Estado. Se o Estado escolhe patrocinar você, você ganha pontos extras.
A informação que foi dada, foi que o governo do estado de New South Wales já havia patrocinado todo mundo que queria patrocinar, e que não iria emitir mais cartas de patrocínio neste ano fiscal.  Bem, isto não significa que um candidato não possa pedir um visto nesta categoria. Na verdade, a maioria dos candidatos não têm patrocínio de governo estadual nenhum. Este patrocínio é um 'bônus', que se você tiver, pode aumentar sua chance de receber o visto, mas não é pre-requisito, nem essencial que você o tenha. 
Tudo isto, no entanto, é relativamente irrelevante, pois esta categoria chamada de profissional 'independente' hoje em dia é, na verdade, uma LOTERIA: quando o candidato tem o perfil ideal, este candidato tem direito somente a se cadastrar num banco de dados do Departamento de Imigração - um banco de dados que lista todas as pessoas, do mundo todo, que tem um bom perfil de imigração (como o dele), e que têm interesse em receber o visto. Uma vez por mês, o sistema escolhe (arbitrariamente) alguns candidatos, e oferece vistos para estes. A escolha é feita com base na profissão, e no número de pontos do candidato, mas basicamente, mesmo que você tenha pontos suficientes, você estará competindo com milhares de outros por esta 'vaga', e se receber vai ser na pura sorte. Esta, portanto, não é uma estratégia de imigração que eu recomendaria para ninguém.
Se você é um profissional qualificado, e fala bem Inglês, a minha experiência tem mostrado que  é muito mais fácil para você achar uma companhia local que estaria interessada em patrociná-lo, do que 'ganhar na loteria' da categoria independente. Patrocínio de empresa é algo razoavelmente comum, principalmente se você tem aquele perfil fantástico do imigrante qualificado ideal. Vale muito mais a pena, portanto, você investir num plano que lhe permita reconhecer as suas qualificações aqui, fazer contatos de trabalho localmente, e entrar na sua área.
Estes são apenas *dois*  dos caminhos de imigração para a Austrália. Como mencionei acima existem outros. O caminho que será o mais rápido/fácil/barato/garantido depende totalmente do candidato: sua história, qualificações, perfil. Por isto mesmo é sempre aconselhável a pessoas que estejam considerando *seriamente* a possibilidade de imigrar para a Austrália, que consultem um bom AGENTE DE IMIGRAÇÃO REGISTRADO E CREDENCIADO pelo governo australiano,  pois só este profissional têm qualificações, conhecimento e direito *legal* de dar orientações sobre vistos e estratégias de imigração para a Austrália.
Em relação a planejamentos de imigração que incluem cursos e planos de estudo, isto é bastante comum. No entanto, não há curso algum que vá lhe 'garantir' um visto de residência permanente no final. Alguns cursos - cursos universitários de Bacharel, Mestrado e Doutorado, de pelo menos 2 anos de duração - lhe dão a opção de pedir um visto especial no final dos seus estudos. Este visto especial - o 485 - lhe dá o direito a uma 'residência temporária' na Austrália, depois de terminar seus estudos. Esta residência temporária varia entre 2 anos (para quem termina Bacharel), 3 anos (para quem termina Mestrado), e 4 anos (para quem termina um Doutorado). 
A Austrália não precisa de 'índios', precisa de 'caciques'. Quanto mais qualificado você for, mais chance o governo quer lhe dar, a fim de que você encontre uma maneira legal de ficar aqui. Por isto mesmo existe o visto 485, para graduados universitários: a idéia é que durante o seu tempo de residência aqui, depois de formado, você achará mais facilmente um caminho de residência permanente - como por exemplo, uma empresa que queira patrociná-lo.
Se você está numa profissão de carência na Australia, é altamente qualificado - incluindo qualificações locais - e tem alguns contatos locais, é muito provável que você conseguirá ficar aqui permanentemente - e você não dependerá de 'sorte' na loteria da categoria independente, mas sim dos seus esforços."
Espero, 'Felipe,  que estas informações ajudem. Se tiver mais dúvidas, ou precisar de mais informações ou auxílio, não hesite em me contatar diretamente: [email protected]
Um abraço.

 

Ola Marlene, boa noite. Gostaria de saber se poderia me ajudar indicando um bom agente de imigração (andei lendo ótimas recomendações sobre você aqui no forum). Seria possível lhe enviar um e-mail? Desde já obrigado. Marcio Szesko.

Olá Marcio,

Obrigada pelas suas palavras, você deve ser um gentleman. Quanto ao Agente de Imigração:  por favor me mande uma mensagem para [email protected] que eu lhe envio os detalhes do que nos dá suporte e que foi quem respondeu a mensagem acima.

Aguardo seu email.

Mais uma vez obrigado.

Encaminhei o pedido para o e-mail informado.

A sua disposição em ajudar dois desconhecidos (minha esposa e eu) só reforçam o que disse em minha mensagem anterior.

Um grande abraço e um excelente dia.

Oi Marlene, li sobre o texto da MQuality, e a resposta consistente do seu amigo. Agradeço muito pela atenção que foi dada por vocês. 

Sou dentista especialista em Reabilitação Oral (Prosthodontist) e gostaria muito de viver na Austrália. Aqui no Brasil as coisas estão complicadas e como tenho um filho de 9 anos, gostaria muito de vê-lo crescer num país maravilhoso como a AU.

Você sabe se procede a informação dada numa matéria (da revista Exame ) que diz que o governo australiano facilitou o reconhecimento do diploma de 192 profissões.

Morei 1 ano em Calgary - Canada, mas lá eles dificultam ao máximo a validação do diploma da área de saúde.

Já estive na Austrália e me identifiquei demais com o país (o que não é difícil), por esta razão gostaria de saber o caminho que as leis atualmente querem que você percorra.

Agradeço antecipadamente sua atenção,

Roberto

Oi Roberto,

Vou responder para você no final de semana, por que hoje a coisa aqui na nossa consultoria tá pegando fogo. Acho que o Brasil todo resolveu vir para a Austrália. Deve ser a consequência da divulgação malandra dessa lista que já existe desde 2011 e que, com pequenas modificações, continua a mesma. ..... rsrsrsrs

Até mais!

Olá Marlene,

Gostaria muito da sua ajuda se fosse possível sobre obter informações sobre o reconhecimento da minha profissão na Austrália,

Sou Técnica oficial de contas (contabilista), tenho obtido muitas informações sobre o reconhecimento da minha profissão, mas serão verdadeiras? por esse motivo preciso da sua ajuda, é verdade que tenho de fazer um estágio para saber as leis da Austrália para poder concluir o reconhecimento da profissão?

Obrigada...:)

Roberta

Olá Roberta,

Para fazer o reconhecimento da sua qualificação brasileira você terá que submeter a sua documentação ao CPA - Certified Public Accountants.

Para poder pedir esse reconhecimento em geral você precisa:

1) ter feito um bacharelado de 4 anos, ou um curso que equivale a isso; 2) ter estudado um determinado número de matérias obrigatórias no currículo escolar australiano; c) ser fluente em Inglês (fala e escrita).

O que vejo frequentemente acontecer com profissionais estrangeiros é o CPA analisar a documentação e dizer quais as matérias que estão faltando para que aquele profissional possa ser reconhecido como tal na Australia. Daí é só a pessoa se matricular num curso em que ela possa fazer aquelas matérias requeridas.

Acabamos de cuidar do processo de reconhecimento da qualificação de uma contadora brasileira. Ela fez um curso de bacharelado (4 anos) em uma boa universidade de São Paulo. Tem 8 anos de experiência trabalhando na Contadoria de grandes empresas.

Assim mesmo, quando entramos com a documentação dela para analise, eles pediram que ela fizesse duas matérias:  Tax Legislation (a legislação fiscal)  e Commercial Law (a lei comercial) australianas. Em nenhum momento se falou em estágio, embora o curso onde a matriculamos ofereça no segundo ano um estágio de 3 meses em uma empresa local. 

Para informações mais detalhadas, dê uma espiada no site do CPA:

http://www.cpaaustralia.com.au/become-a-cpa/migration-assessment/cr...

Qualquer coisa a mais me escreva para [email protected]

                                                                                                                                     

Boa tarde!

Primeiro posting no grupo, grato por me receberem.

Gostaria de deixar aqui um alerta quanto a agência M.Quality. Fui cliente deles por aproximados 8 meses, iniciando pagamentos antecipados pelos seus serviços.

Bom se fossem serviços de acordo com o combinado. Infelizmente culpo a nós tbém (eu e minha esposa), por termos assinado com essa empresa. De início, até fecharmos o contrato, tudo ótimo e prestativo. Só foi fecharmos contratos para começarem as contradições de informações, falta de viabilidade de tempo para nos atender, e com grosserias! Resolvemos procurar entender melhor sobre imigração para a Australia, e cancelamos nossos serviços. Infelizmente, perdemos 11mil reais nessa brincadeira.

Não recomendo a ninguém os serviços da M.Quality, e a dica é que se olhe muito, e nao somente bastante como fizemos, antes de fechar com um agente de imigração.

Obrigado

Olá Erico,

Lamento o ocorrido, infelizmente você não é o primeiro e nem será o último a ser lesado, ao tentar imigrar para a Australia. Isto vem acontecendo com certa frequência entre os clientes de alguns agentes de imigração brasileiros.

Um alerta pra quem nos lê: se quando você for a um agente conversar sobre as suas possibilidades de imigração para a Australia, a primeira opção que lhe oferecerem for o visa 189 (skilled visa) desconfie!!!! Este é o processo mais caro (bom para o agente) e que não lhe oferece nenhuma garantia - bom para o agente, de novo, que vai lhe dizer que o problema é com o Departamento de Imigração.

Erico, se você quiser conversar com detalhes sobre o seu processo, por favor me escreva para [email protected] Quem sabe posso achar algum profissional mais competente que o ajude a salvar o que você já investiu.

Fique bem!

Marlene! Muitíssimo obrigado pelos esclarecimentos! Ajudou muito a tirar essas dúvidas, e claro, de qualquer outra pessoa que também tenha recebido um e-mail desses.

Planos a mil e nos vemos em Julho! rs

Grande abraço!

RSS

Membros

Seja Social Também :D


Como utilizar a Comunidade:

Pessoal, para manter a comunidade bacana e confiavel, por favor, adicionem foto em seu perfil, assim sabemos com quem estamos falando, alem de ficar com uma pagina mto mais bonita.

Boa sorte a todos!
Comunidade Brasileiros na Australia

Grupos

© 2020   Criado por Gabriel.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço